terça-feira, 29 de outubro de 2019

Uma nova era se inicia: o novo Project está oficialmente disponível

Olá pessoal –

Agora é pra valer: a Microsoft acaba de anunciar oficialmente o novo Project for the web – ou simplesmente ‘Project’. Como eu havia comentado no post anterior, trata-se de uma versão reimaginada do software de gerenciamento de projetos mais utilizado em todo o mundo, que foi desenhado do zero a partir da plataforma Power Platform – e que agora estará disponível exclusivamente na web.

Hoje iremos explorar em linhas gerais os recursos e funcionalidades iniciais do Project for the web. Ao final do post irei deixar links e referências da documentação disponibilizada pela Microsoft, caso você queira saber mais detalhes sobre planos, licenciamento, próximos passos e etc.

O que é o project for the web?

De maneira bem simples, podemos dizer que com o lançamento do Project for the web a Microsoft tem como objetivo preencher o vácuo existente entre as duas plataformas de gerenciamento de trabalho e projetos atuais: o Planner e o Project Online. Enquanto o Planner é uma excelente plataforma para o gerenciamento compartilhado de tarefas e pequenos projetos, ele não possui alguns recursos que são muito solicitados pelos usuários, como por exemplo a possibilidade de se estabelecer vínculos entre as tarefas, ou mesmo a possibilidade de utilização do conceito de tarefas e subtarefas, entre outras funcionalidades. Já o Project Online é uma plataforma completa para gerenciamento de portfolios, programas e projetos; entretanto, por muitas vezes é considerado muito “formal” e “burocrático”, e os seus conceitos de check-in, check-out, linha de base, publicação e etc. podem se apresentar como uma barreira para os gerentes de projeto que desejam trabalhar com mais dinamismo e agilidade.

Nesse sentido, o posicionamento do Project for the web é justamente esse: funcionar como uma alternativa para as organizações que não queiram ser simplistas demais para usar o Planner, e nem formais demais para usar o Project Online.




Como começar?

Se a sua empresa possui uma assinatura do Project Online com pelo menos uma licença Professional ou Premium, o Project for the web já deve estar disponível. Para iniciar um novo projeto, navegue à página Home do Project – https://project.microsoft.com – e inicie um novo projeto em branco:



Na primeira vez que você iniciar um novo projeto em branco, a página de setup será exibida, e você terá de aguardar alguns segundos:



O Project for the web foi desenhado para ser simples: você pode iniciar um novo projeto sem ao menos ter um nome:



Já em relação às colunas, temos uma surpreendente (e radical) mudança: o Project for the web possui apenas 13 colunas:



Se você é um usuário frequente do Project Online, irá perceber a mudança no nome de algumas colunas:


> Predecessoras chama-se Depende de (antes)
> Sucessoras chama-se Dependentes (depois)
> Trabalho chama-se Tempo necessário
> Trabalho Real chama-se Tempo concluído
> Trabalho Restante chama-se Tempo restante

Isso sem falar na nova coluna Grupo, que importou o conceito de ‘Buckets’ do Planner. Aliás, por falar em Planner, se você é um usuário frequente desta plataforma, irá perceber inúmeras semelhanças dele com o Project for the web, principalmente no que se refere ao aspecto visual (design) e interação (usabilidade). Como exemplo, ao clicar com o botão direito do mouse sobre uma tarefa é possível abrir a sua janela de detalhes, que é muito semelhante à janela de detalhes das tarefas do Planner:



Do mesmo modo, caso você já possua um conjunto de tarefas que componham o cronograma, a opção de clicar com o botão direito do mouse permite que uma série de ações sejam tomadas – como exemplo, é possível definir a estrutura das tarefas resumo e das subtarefas:





Seguindo o conceito de construção de um cronograma, ao utilizar a coluna Depende de (antes) para determinar a relação de vínculo entre as tarefas, a digitação do ID da tarefa já faz com que a plataforma apresente também o seu nome, facilitando a escolha do usuário:



Outro tópico importante é que, no Project for the web, não existe a necessidade de se criar uma equipe de trabalho, como acontece no Project Online. Conforme o projeto vai se desenvolvendo, você poderá começar a atribuir pessoas às tarefas:



Um importante ponto a ser observado é que, quando você tenta atribuir uma pessoa que não você próprio a uma tarefa, terá de criar um novo grupo para o seu projeto no Office 365 (ou então associar o projeto a um grupo existente):



Perceba que, ao tentar atribuir o usuário Daniel a tarefa ‘Configurar o ambiente de testes’ a plataforma irá requerer a definição sobre a criação de um novo grupo ou a associação do projeto a um grupo existente:






Design e interface do usuário (user interface)

Além da visão padrão de tabela, onde é possível adicionar e organizar as tarefas, o Project for the web também possui outras duas visões padrão: Quadro e Linha do Tempo. A visão quadro é muito semelhante a que encontramos no Planner (de novo ele), com a organização vertical das tarefas de acordo com um agrupamento específico (Progresso, Bucket ou Data de Vencimento):



Enquanto isso, a visão linha do tempo apresenta as tarefas no formato do velho e bom Gráfico de Gantt, só que agora com um visual bem mais moderno:



Outro item muito interessante do novo design está relacionado à formatação condicional aplicada automaticamente às tarefas, de acordo com o seu vencimento:




O futuro

Como eu havia comentado no início do post, o Project for the web é uma plataforma completamente nova, que não tem em sua fundação nenhum resquício do nosso velho amigo SharePoint, no qual toda a suíte PPM (Project Server e Project Online) foi baseada até hoje. Ainda referenciando aos primeiros parágrafos do post, o Project for the web foi construído sob a plataforma Power Platform, o que irá abrir um mundo completamente novo de possibilidades para integrações, desenvolvimento de soluções, aplicativos e conectores, que poderão tanto consumir como enviar dados para o novo Project. Acessando os bastidores do CDS (Common Data Service) é possível entender como a plataforma está organizada em entidades:



E ao acessar uma entidade específica (neste exemplo projetos) é possível visualizar todas as propriedades e informações sobre os seus registros:




Mas esse será assunto para os próximos posts e vídeos no canal.

Ok, legal... mas, e agora? Qual o impacto disso?

Imagino que, a partir de agora, as organizações irão começar a se perguntar: nós já utilizamos o Project Online como plataforma de apoio ao nosso portfolio de projetos. O que a introdução do Project for the web significa, e como isso irá nos afetar?

Segundo a própria Microsoft, não há motivo para pânico. O Project Online não será descontinuado, e as empresas não irão perder do dia para a noite todo o investimento realizado na plataforma. A princípio, as operações e a gestão do portfolio poderão acontecer normalmente no Project Online, de modo que as organizações poderão ter um tempo para entender melhor o Project for the web, bem como seus recursos, funcionalidades e qual o contexto de sua utilização. Deste modo será possível estruturar um plano para migração gradual do Project Online para o Project for the web, ao mesmo tempo em que novos recursos, funcionalidades, aplicativos, conectores e soluções são introduzidas/adicionadas à plataforma pela Microsoft e/ou parceiros do ecosistema PPM.

Para entender melhor todos os efeitos da introdução do Project for the web, e como se preparar para essa transição no longo prazo, a leitura da documentação abaixo é fundamental:








7 comentários:

  1. Muito lega, ja estou utilizando. Pergunta: como compartilhar o projeto (shared link) com outras pessoas apenas para consulta? Nao achei um botao "compartihar"..
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dimitri. Quando você compartilha o projeto com outras pessoas, elas passam automaticamente a ter acesso irrestrito ao projeto - podendo inclusive fazer alterações nas tarefas.

      Excluir
  2. Como o project for the web se íntegra com o Power vi e com o teams?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcos. Você pode criar relatórios via Power BI usando o conector Common Data Services (CDS). Já via Teams, você tem que criar uma nova aba no canal que seja uma página web, e então você pode usar o endereço do projeto (URL).

      Excluir
  3. Tem como criar um projeto para ser usado como template para que os novos usem ele como base ou então fazer a cópia de um projeto já criado para um novo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que nesta primeira versão não há como fazer isso Marcos.

      Excluir
  4. Bom dia, como fica as questões relacionadas ao controle de custos do projeto, apropriação de horas, alocação de recursos, etc.

    ResponderExcluir